• Posted by : Testarossa terça-feira, 16 de outubro de 2018

    Capítulo 2 - Ela Que É Amável Como Uma Flor

    Parte 1
    Estava no meio de uma estação que não podia ser chamado nem de primavera, nem de verão.

    Cortando através da atmosfera gelada e seca, eu estava voando dentro da floresta cujo as folhas eram largas e extensas. Essa floresta parece ser bem vasta, uma vez que eu não consigo ver o fim não importa quanto tempo passe.

    Para evitar as árvores que bloqueiam o caminho em uma rua muito estreita, eu desloco minha vassoura para ambas as direções enquanto ruidosamente fricciono contra os galhos.

    Após isso, eu vi o céu. Essa floresta era tão cheia de árvores que eu meramente vi algo deslumbrante do lado oposto da vegetação.

    ".....Oops."

    Enquanto olhava para cima, meu chapéu foi arremessado para longe por um galho de árvore.

    Depois de parar, retornar, e recuperá-lo, eu mais uma vez recomecei o meu avanço.

    Se é tão difícil de voar nessa floresta, teria sido melhor voar sobre ela----Mas infelizmente, agora é tarde demais.

    Eu já cheguei longe assim, e retornar me tomaria tempo demais. Se eu tentasse forçadamente voar por cima daqui, então eu tenho a sensação de que dessa vez, meu chapéu não será a única coisa que vai acabar danificada.

    Eu sinto como se eu estivesse em uma situação um pouco complicada.

    De quem é a culpa, você pergunta? Bem, é inteiramente minha culpa, e daí?

    Ao mesmo tempo em que tais reclamações direcionadas a ninguém em particular passavam pela minha mente, eu continuei voando.

    Eu não sei o quanto demorou até o caminho finalmente se abrir.

    "Uou......"

    Eu deixei minha admiração escapar sem nem pensar.

    O que eu vi lá era um jardim de flores.

    Eu estava voando acima do jardim.

    Haviam flores vermelhas, azuis e amarelas espalhadas ao longo da terra. Todas elas estavam vividamente esticadas, viradas para o sol. O vento gerado pelo movimento da vassoura atingia o meu rosto e me banhava com pétalas junto com uma fragrância revigorante.

    Boas fragrâncias que tocavam o fundo do meu coração subiram junto com as flores distintamente coloridas. Segurando meu chapéu para não ser roubado pelo vento, eu diminui a velocidade da minha vassoura.

    Lá, bem no meio da floresta, estava outro mundo.

    Eu estava completamente cativada por aquela vista.

    "........Oh."

    No meio das flores----Eu vi a silhueta de uma pessoa misturada nas cores brilhantes.

    Estaria essa pessoa cuidando deste jardim de flores? Eu apontei minha vassoura na direção dela.

    "Um, com licença."

    Ao que eu chamei de cima da vassoura, aquela pessoa virou a cabeça enquanto sentada. Era uma bonita garota que parecia ser mais ou menos da minha idade.

    "Ara, olá."

    "Olá, você está cuidando desse jardim de flores?"

    Ela balançou sua cabeça.

    "Não, eu não sou a zeladora desse jardim de flores. Eu estou aqui simplesmente porque amo flores."

    "Você não é a zeladora....? Então, todas essas flores floresceram aqui por conta própria?"

    "Sim. Foi isso que aconteceu."

    Então é assim? Eu pensei.

    Eu achava que algo como um jardim de flores só poderia ser feito através do esforço humano. Mas novamente, as flores estavam na Terra antes dos humanos, então não é como se elas não fossem existir sem interferência humana.

    Mas, como pode um cenário tão magnifico existir só pelo poder da natureza, sem assistência dos humanos?

    Impressionante.

    "Você é uma Bruxa?"

    Inclinando sua cabeça, ela perguntou enquanto olhava para o meu peito.

    "Sim. Eu estou viajando."

    "Isso é tão incrível---Ah, certo, nesse caso~ Eu tenho um favor para pedir."

    "Se for algo que está ao meu alcance."

    Com isso, ela arrancou algumas flores, enrolou elas com a sua jaqueta, e presenteou elas a mim.

    Era um buquê feito na hora.

    "Se não tiver problemas para você, eu gostaria que você entregasse essas flores para o país que está logo adiante daqui."

    "Está tudo bem dar elas para qualquer um?"

    Eu inclinei minha cabeça em perplexidade enquanto eu aceitava o buquê.

    "Qualquer um serve. Presentear elas para as pessoas é considerado um ato belo e é importante."

    Em outras palavras, ela quer espalhar a palavra sobre esse jardim de flores.

    Eu sinto como se eu pudesse entender os sentimentos dela de querer mostrar esse lindo cenário para todo mundo.

    "Então em outras palavras, você quer que eu seja a publicitária desse jardim de flores, eh?"

    "Você não quer?"

    "Não, sem problemas."

    Ao invés disso, o prazer seria todo meu----Ao mesmo tempo que respondi, ela pareceu aliviada do fundo do seu coração, e respondeu "Fico contente." enquanto mostrava um sorriso.

    Após aquilo, nós nos envolvemos em conversas leves por um curto período. Sobre países que eu havia visitado até agora, e sobre flores que ela mais gostava. Se eu não estiver enganada, nós conversamos sobre tópicos como esses.

    Então, depois nós gastamos muito tempo aproveitando o momento:

    "Pois bem, eu preciso me apressar agora---Eu irei entregar as flores para alguém no próximo país."

    "Por favor faça, viajante-san."

    Ela sorriu e acenou.

    ".........."

    Subitamente, eu tive um sentimento de desconforto. "Você não vai deixar este lugar?"

    "Exatamente. Não há nada de ruim em estar nesse jardim de flores. Em breve, o dia irá acabar apenas me divertindo com as flores. Eu fico feliz só de me banhar na luz do sol. Isso é nada mais que adorável, não acha?"

    Ela disso isso com uma voz convicta. Enquanto continuava sentada.


    Parte 2
    "Pare, garotinha. Ei, eu disse para você parar, não disse?"

    Após viajar por mais algumas horas na minha vassoura daquele jardim de flores, eu, que chegou ao portão de um certo país, fui cumprimentada por um guarda-san de roupas pretas com um tom de voz nervoso.

    Tendo uma atitude tão opressiva com um estranho, e pior ainda me chamando de garotinha. Embora não tenha tido nenhuma pessoa que me deu uma boa impressão até agora e isso deveria ser uma coisa natural para mim, contra ele minha raiva aumentou mesmo que só um pouco.

    Mas, eu não deixei isso a mostra. Eu sou uma adulta, afinal.

    "Viajante, você diz?"

    "Sim. Não consegue ver só olhando?"

    "O que é aquele buquê?"

    "Nada de importante."

    "........"

    "O que é?"

    "Me mostre aquilo por um instante."

    Ele se aproximou de mim de maneira rude e tomou o buquê das minhas mãos.

    "Ah, ei!" Como esperado, eu não posso fazer vista grossa para isso. Eu rapidamente desci da minha vassoura e tentei tomar o buquê de volta.

    Mas, ele tirou minha mão e encarou o buquê---Como se tentasse abrir um buraco nele. Como se minha resistência fosse insignificante para ele.

    Para ficar ainda pior, "Isso....Poderia isso possivelmente ser dela...." ele acabou murmurando alguma coisa enquanto sua expressão facial mudava. Eu não entendi.

    ........Esse guarda de portão.

    "Você aí, onde você conseguiu isso."

    "Por que isso importa? Me devolva-o."

    "Por um acaso, isso não foi coletado do jardim de flores?"

    "Isso não é da sua conta."

    Eu estou sendo completamente subestimada, huh. O que eu deveria fazer? Deveria eu transformá-lo em cinzas?-----Eu invoquei o meu cajado.

    "Ei, o que você está fazendo?"

    Foi no momento em que eu decidi derrubar ele com um vendaval e preparei meu cajado: uma voz ressoou de trás de mim. E a voz tinha outra atitude opressiva.

    O que exatamente é isso? Só há pessoas arrogantes nesse país? Haah? Ficando nervosa, eu me virei.

    "Isso pertence a viajante-san. Devolva de uma vez!"

    Havia um homem de meia idade----Vestido com as mesmas roupas pretas que o guarda de portão----Ele não estava me encarando, mas sim o jovem guarda.

    Ao mesmo tempo em que me virei, aquele jovem guarda estava segurando o buquê com uma cara estranha. "Mas, sensei, isso...... Isso é......"

    "Dá pra notar só de olhar. Eu cuidarei das coisas daqui em diante, então pode voltar."

    "Não é isso, isso é----"

    "Eu disse para você voltar. Você não me ouviu? Você deveria descansar um pouco."

    "......Tch." Com um estalar de língua, ele amargamente olhou para mim e se foi embora.

    "Ah, por favor devolva o buquê."

    ".........."

    Ele voltou com uma expressão fraca no seu rosto, e:

    ".......Aqui."

    Ele empurrou as flores em mim.

    "Obrigado."

    Ele não respondeu de volta. E agora sim, ele foi embora para algum lugar. Aquele guarda de portão se sentiu irritado até o último momento.

    Vamos deixar isso para trás agora.

    Após assistir até que ele desaparecesse, aquela pessoa que foi chamada de sensei fez uma cara de incomodado.

    "Desculpe, Bruxa-san. É porque a irmã mais nova dele desapareceu recentemente. Ele esteve dessa forma desde então. Por favor, perdoe-o."

    "Está tudo bem, não me importo."

    Apesar disso ser uma mentira.

    "A propósito, essas flores, me desculpe mas poderia descartá-las aqui? É proibido levar elas para dentro do país."

    "Proibido levá-las? Você quer dizer essas flores?"

    Eu não entendi o significado e a intenção.

    Eu inconscientemente abracei as flores com firmeza.

    "Existe um veneno nessas flores." Indiferente, ele disse isso ao invés de irracionalmente tomá-las a força. "Já que você é uma Bruxa elas não oferecem perigo a você, mas elas contém poder mágico que faz o coração das pessoas que não podem usar magia ir a insanidade----Eu também não entendo bem os detalhes, mas é algo parecido com isso."

    "......Veneno."

    Ele assentiu.

    "Encantados por essas flores, pessoas vão para o seu campo de origem e passam sua vida inteira acalentando elas. É por isso que trazê-la é proibido."

    "........."

    "Algum problema?"

    "....Não."

    Supondo que existe um veneno dentro das flores que estão na minha mão, então... Poderia ser, eu comecei a pensar.

    A garota que deu essas flores para mim. Por que ela não tentou se levantar nem uma única vez?----Por que ela estava sentada no jardim de flores? Eu continuei a ponderar sobre isso.

    Mas, era aquilo não tentar se levantar, ou ser incapaz de se levantar?

    Talvez a parte de baixo do corpo dela já não era mais dela?

    ............

    "Um, então a irmã mais nova daquele guarda de antes..."

    "Sim. Desde que foi ao jardim das ditas flores alguns dias atrás, ninguém sabe o paradeiro dela."

    Ele abaixou sua visão para o buquê de flores de antes.

    "Ei, ojou-chan, para quem você planeja dar elas? Poderia ser----"

    "Não."

    Eu interrompi o diálogo dele.

    "Eu colhi essas flores para mim mesma. A roupa que elas estão enroladas é a minha reserva."

    É por isso, eu não sei nada sobre a irmã mais nova dele. Eu descaradamente declarei.


    Parte 3
    Após isso, sem fazer nenhum passeio turístico notável, eu fui para um hotel e aluguei um quarto para uma única noite de estadia, então fui tomar um banho e me arrastei para cama como se estivesse tentando desaparecer.

    Eu comecei a pensar enquanto encarava as finas tábuas de madeira alinhadas no teto.

    Sobre o jardim de flores.

    E sobre a garota que estava sentada lá.

    Na novel "As Aventuras de Nike" que eu li tempos atrás, havia a menção de uma planta estranha.

    Se não me engano, as circunstâncias naquele conto eram que uma planta modificada obteve consciência própria, ou ego, por absorver o poder mágico que ela originalmente descarregava e começava a agir violentamente----Era algo parecido com isso.

    Em primeiro lugar, algo como poder mágico existe em todo lugar do mundo. Plantas como árvores e mato em particular, após serem banhados na luz do sol, elas radiam poder mágico. Mas, eu não entendo porque exatamente funciona dessa forma.

    Então, aqueles que entram em contato com esse poder mágico que não está originalmente dentro do corpo humano, e são capazes de manipular ele livremente são chamados de Magos.

    Logo, Magia pode ser usada na sua forma mais forte dentro de uma floresta que está transbordando com poder mágico. O lugar que eu treinei com a minha mestra a fim de me tornar uma Bruxa também era em uma floresta.

    Eu poderia dizer que nós Magos também somos existências modificadas igual a planta no "As Aventuras de Nike". Afinal, nós somos capazes de usar algo que humanos não são capazes de usar.

    ......Não, talvez aqueles que não conseguem usar Magia que são os anormais.

    Eu não entendo quem é quem. Eu tive tal discussão casual na minha mente, mas pensar sobre isso é inútil. Essa discussão é a mesma daquela sobre qual veio primeiro, a galinha ou o ovo, é absolutamente inútil pensar sobre isso afinal.

    "......Fuah."

    Eu bocejei e esfreguei meus olhos. Eu não posso dormir ainda. Está tudo bem. Não durma, não durma.

    ........O jardim de flores de antes.

    Eu temo que daquele tanto de poder mágico, o jardim de flores irá evoluir de uma maneira estranha. Similar as flores daquela novel que obtiveram consciência própria.

    Se eu pensar sobre isso, a floresta em que o jardim de flores estava era tão denso com árvores que você mal conseguia ver a luz do sol se você olhasse para cima de dentro dela. O poder mágico que foi criado combinava com ela.

    Debaixo de tanto poder mágico acumulado, não seria nada estranho mesmo aquele jardim de flores se transformar em algo diferente.

    E o jardim de flors que cuspia veneno com seu néctar que começava a seduzir pessoas----O que no mundo trouxe isso à tona?

    "........."

    O que se deu das pessoas que foram seduzidas por aquele jardim de flores?

    Aquele sentimento nebuloso constantemente se agarrou à minha mente sem querer ir embora.


    Parte 4
    "Oya, Bruxa-san, você já está partindo?"

    Na manhã seguinte.

    Quem estava protegendo o portão era o guarda de meia idade de ontem. Parecendo se lembrar de mim, ele me cumprimentou com um sorriso casual.

    Enquanto fazia o mesmo rosto sorridente:

    "Sim. Esse não era um país muito grande então só um dia foi o bastante para mim."

    "É um país entediante, não é?"

    "Não, não. Foi bastante proveitoso."

    "Hahaha. Essa foi uma piada engraçada."

    Teria sido eu descoberta?

    "A propósito, onde está o jovem guarda de ontem?"

    "Hn? Ele tirou o dia para repousar hoje. Ele saiu do país ontem a noite e ainda não voltou até agora. Por que? Você estava afim de vê-lo?"

    "Tão engraçado."

    Eu não quero me encontrar com ele, então escute.

    "Bem, ele disse que ele iria retornar à noite, então se você quiser encontrá-lo, então você deveria esperar."

    "Não, obrigado."

    "Hmm. Então, você está indo mesmo?"

    "Sim. Eu diria que não há porque ter pressa, mas a não ser que eu saia essa manhã, posso ter problemas para alcançar o próximo país antes do por do sol."

    Além disso, há um lugar que eu preciso ir.

    Mais que esse país, minha mente está naquele lugar.

    "É mesmo? Bem, tome cuidado."

    "Certo. Obrigada."

    Desta forma, eu saí do país.

    Então.

    Eu me dirigi para a floresta visível na distância----Em direção ao lugar de ontem, e voei com minha vassoura.

    Ao me aproximar das árvores que estavam brotando da floresta, tudo foi pintado pelo verde na minha frente.

    O vento violento estava soprando e se torcendo ao redor, esfriando a terra quente e vasta. As nuvens acumuladas no céu interrompiam os raios solares.

    O agora cinzento céu começava a pintar a cena com uma cor de chumbo.

    Imediatamente após isso, começou a chover.


    Parte 5
    Passando através das árvores que foram pressionadas juntas, eu me encontrei novamente com o espaço aberto.

    Lá está o jardim de flores.

    Similar ao céu, elas estavam bem enfadonhas comparado a vivacidade de ontem.

    ".........."

    Não apenas as cores, até mesmo a aparência estava emitindo um sentimento levemente desconfortável.

    Eu segui o mesmo caminho de ontem vindo da direção oposta, então esse não deveria ser outro lugar, e, esse sentimento desconfortável que não pode ser expurgado é uma prova disso.

    Descendo com minha vassoura, eu encontrei a fonte desse sentimento desconfortável. Kusha! -- Com um som que faltava elegância, as flores sob os pés sentiam como se estivessem mortas.

    O jardim de flores com uma fragrância agradável. Na frente dele estava a figura de uma pessoa.

    A verdadeira forma desse sentimento desconfortável era aquilo: aquela figura humana por si só era o que emitia essa angústia.

    ".........."

    A garota que me deu o buquê. E na frente daquela figura estava um único homem----Suas vestimentas eram diferentes de ontem, mas a pessoa cujo rosto eu claramente lembrava estava sentada no jardim de flores e olhando para a garota com uma face sorridente.

    Era o guarda de portão de ontem.

    "Olá."

    "Ah, você é aquela viajante de ontem? Saudações." Ele mostrou uma reação muito tranquila.

    "É essa a sua irmã mais nova?"

    Ele assentiu para a minha questão.

    "Sim. Eu finalmente achei ela. Quem pensaria que ela estaria em um lugar como este."

    Fazendo uma expressão gentil, ele segurou a mão dela.

    Quanto mais você olha, mais estranho parece. Por alguma razão, eu não consigo ver a garota cuja mão ele está segurando como um ser humano.

    Manchas verdes são visíveis na pele, e o cipó que está rastejando através do corpo dela. Ela estagnadamente olhava em direção ao céu com um olhar vazio sem piscar. Sua boca estava bem aberta e baba estava sendo derramada.

    A parte inferior do seu corpo era ainda mais estranha. Seu corpo abaixo da cintura estava envolto em pétalas vermelhas gigantes.

    Como se um humano estivesse nascendo de uma flor gigante. Como se um humano e uma flor fossem forçadamente conectados. Era uma aparência muito bizarra.

    Ele estava olhando com olhos fascinados em direção a tal garota.

    "Tão amável. Se tornar tão linda em um lugar deste."

    "........."

    "O que é?"

    Eu balancei minha cabeça.

    "Não, você parece surpreendentemente diferente de ontem, então eu fiquei surpresa."

    "Aah, ontem? Erro meu, ontem eu estava perplexo por não saber o paradeiro da minha irmã mais nova."

    Olhando um pouco mais abaixo, eu vi o cipó que estava amarrado ao redor da perna dele. Certamente ele não é capaz de se mover tal como a ela.

    Ao invés de incapaz de se mover, talvez seja mais como se ele não tivesse a intenção de se mover.

    "..........."

    Ele não estava dando a mínima para minha presença também. Se eu não o chamar, ele irá se virar para ela e continuar a falar com ela com olhos sem vida.

    "Francamente, estar monopolizando um lugar tão amável."

    "Ah, exato. Ei, vamos convidar todo mundo do país para vir aqui juntos. Se nós mostrarmos aqui para todo mundo, eles com certeza ficarão felizes."

    "Ei, estaria tudo bem nisso?"

    "Entendo. Obrigado."

    Possivelmente ele era capaz de ouvir palavras que eu era incapaz. Para mim parecia apenas como uma conversa unilateral, falando sobre alguma coisa com sua irmã mais nova, no entanto.

    A garota que eu conversei ontem não conseguia nem fazer expressões faciais mais. Nem poderia ela realmente expressar qualquer coisa.

    Parecia como se ambos emoções, corpo e tudo mais foram jogados fora em algum lugar pelo jardim de flores.

    Ela não consegue fazer nada que não seja ser admirada.

    Assim como uma flor.


    Parte 6
    Eu estava voando na minha vassoura acima da pastagem.

    Felizmente, não tem chovido desde que eu subi na vassoura. Eu quero alcançar o próximo país antes que comece a chover, mas o que eu deveria fazer?

    ".........Ara."

    Debaixo do céu cinzento, eu vi algo menear em minha direção.

    Ao me aproximar, eu vagamente entendi que a forma pertencia a um humano. Sem diminuir minha velocidade, eu passei lado a lado por aquela pessoa.

    "........."

    Eu não entendi realmente se aquilo era um homem ou uma mulher. Idade também era desconhecida. Eu apenas entendi que era um humano.

    Aquela pessoa estava caminhando em direção a algum lugar. Indo adiante, possivelmente para aquele país.

    Nessas coisas vagas, eu apenas entendi uma coisa com clareza. Havia apenas uma coisa que eu vi.

    Era a coisa de aparência importante que a pessoa estava carregando nas suas mãos.

    Um buquê de flores.

    Leave a Reply

    Subscribe to Posts | Subscribe to Comments

  • Copyright © - Canal Testarossa

    Canal Testarossa - Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan